Por Cristina Padiglione | Saiba mais
Cristina Padiglione, ou Padi, é paga para ver TV desde 1990, da Folha da Tarde ao Estadão, passando por Jornal da Tarde e Folha de S.Paulo
O que tem de bom?

‘Aquarius’, filme com Sônia Braga, chega ao Canal Brasil

Sônia Braga em Aquarius

Filme de Kléber Mendonça que traz à tona a prioridade a ser dada a valores humanos, em detrimento de valores de consumo,  “Aquarius faturou 20 prêmios nacionais e internacionais, fez história no tapete vermelho de Cannes (e não só por puxar o primeiro coro internacional de #ForaTemer) e chega nesta terça, dia 11 de abril, à programação do Canal Brasil.

Sônia Braga é Clara, jornalista e escritora que se recusa a vender seu apartamento, cenário das memórias de toda uma vida, a uma construtura que quer construir ali no edifício Aquarius, de cara para a praia de Boa Viagem, no Recife, um grande empreendimento imobiliário. Todos os vizinhos já cederam. Como eu digo sempre, independentemente de você empunhar a bandeira do #ForaTemer, erguida pelo staff do longa, não caia na cilada de confundir ideologia com apreciação cultural. Não convém se autocensurar antes de conhecer esta boa produção. Ao som de sua linda coleção de vinis, a protagonista nos sensibiliza com belos diálogos e uma história de superação onde a felicidade é só questão de escolha.

 

“AQUARIUS” (2016) (140)
Quando: Terça, dia 11, às 22h
Classificação: 16 anos
Direção: Kleber Mendonça Filho
Sinopse: A história começa no Recife dos anos 1980. Na sala do apartamento com vista para o mar de Boa Viagem é realizada uma comemoração aos 70 anos de Tia Lúcia (Thaia Perez). Adalberto (Daniel Porpino) faz um discurso em tributo à esposa, Clara (Bárbara Cohen), em reabilitação de um câncer de mama — o primeiro ato leva o nome de “O Cabelo de Clara” em referência as madeixas curtas da protagonista, recuperando-se da calvície, efeito colateral do agressivo tratamento à doença. Com Maeve Jinkings, Irandhir Santos e Humberto Carrão.

A trama salta da década de 1980 para o presente, sob o título de “O Amor de Clara”. A jornalista e escritora (agora vivida por Sônia Braga) é viúva há quase 10 anos e mora sozinha no mesmo apartamento da festa. A residência ainda guarda os antigos traços da decoração de tempos anteriores, com estantes repletas de livros e discos de vinil, mas ela está sozinha não apenas em casa, mas também no prédio. Seus vizinhos cederam ao assédio da Construtora Bonfim, representada por Diego (Humberto Carrão) e Geraldo (Fernando Teixeira), interessada em comprar todos os aposentos para demolir o edifício e construir um projeto mais moderno, de acordo com o padrão luxuoso dos imóveis da orla. A única remanescente se recusa a aceitar a oferta dos engenheiros, e mesmo com a insistência da empreiteira, nem ao menos topa ouvir uma proposta.

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter

Cristina Padiglione

Cristina Padiglione