Por Cristina Padiglione | Saiba mais
Cristina Padiglione, ou Padi, é paga para ver TV desde 1990, da Folha da Tarde ao Estadão, passando por Jornal da Tarde e Folha de S.Paulo
Jornalismo&Doc

Aviso ‘Eu votei na Dilma’ invade tela ao vivo do ‘Jornal Nacional’, em denúncia sobre Temer

Zileide Silva e uma invasora na reportagem do 'Jornal Nacional': 'Eu votei na Dilma'

Durante a entrada ao vivo da repórter Zileide Silva no “Jornal Nacional”, uma cidadã se posicionou bem atrás da repórter com uma folha onde se lia “Eu votei na Dilma”. O câmera tentou aproximar o foco de Zileide, até fazer sumir a definição sobre a frase da invasora, mas, avisada por alguém atrás do câmera, ela mudou de lado e se reposicionou.

O caso aconteceu durante a cobertura da reação do Congresso Nacional, que encerrou a sessão do dia logo após a divulgação da notícia de que o presidente Michel Temer foi flagrado em gravação feita pelo dono da JBS, Joesley Batista, avalizando a iniciativa da JBS, grupo responsável pela Friboi, de pagar pelo silêncio de Eduardo Cunha na prisão.

De modo geral, o Jornalismo da Globo tem se calçado contra ações do gênero, sempre com alguém a postos para evitar esse tipo de manifestação. Como a notícia do dia se revelou pouco mais de uma hora antes do “Jornal Nacional”, os repórteres Zileide Silva, Marcos Losekan e Delis Ortiz foram urgentemente posicionados na Câmara, no STF e no Palácio do Planalto, respectivamente, para dar conta da temperatura em cada local.

Zileide não comentou que antes do encerramento da sessão, deputados da oposição já deram início a um coro pelo impeachment de Temer.

A Globo deu a notícia pouco antes do início do “jornal Nacional”, dentro da vinheta do plantão do Jornalismo da Globo, como notícia capaz de abalar o País. Durante a edição, a notícia foi tratada sob o caráter de “bombástica”.

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter

Cristina Padiglione

Cristina Padiglione