Por Cristina Padiglione | Saiba mais
Cristina Padiglione, ou Padi, é paga para ver TV desde 1990, da Folha da Tarde ao Estadão, passando por Jornal da Tarde e Folha de S.Paulo
Minha série

‘Manual para se defender de Aliens …’, 1ª série nacional da Warner, estreia com crédito

O título é comprido, mas a proposta é concisa e a produção, bem realizada: um trio de jovens que tudo entende de cultura geek recebe a chave para salvar a Terra de aliens (infiltrados na sociedade como líderes de governos e empresas). Esse grupo fez dos ninjas seu exército particular e alimenta a ideia de uma epidemia de zumbis se apoderar do planeta. Contra o mal iminente, os três jovens bacaninhas ressuscitam a Nazca (não a agência de publicidade, mas sim uma organização fictícia, claro), originada nos anos 20 por Tesla, pesquisador cujos estudos ficaram ocultos por 60 anos e foram retomados nos anos 80 por outro estudioso do assunto, Bartolomeu Boaventura, personagem que nos dá a rara e deliciosa oportunidade de encontrar o diretor de teatro Zé Celso Martinez Corrêa na TV: ele faz uma participação especial e já dá as caras na estreia.

O diretor de teatro e ator Zé Celso Corrêa é o pesquisador Bartolomeu Boaventura na série 'Manual para se defender de aliens...'

O diretor de teatro e ator Zé Celso Corrêa é o pesquisador Bartolomeu Boaventura na série ‘Manual para se defender de aliens…’

O trio de jovens vem formado por Thalles Cabral, Daphne Bozaski e Michel Joelsas, nos papéis de Wes, Tina e Sput. Coordenando o grupo, está o açougueiro Juarez, vivido pela figuraça de André Abujamra, amigo de longa data do diretor, André Moraes, autor do argumento, que também acumula trabalhos de trilha sonora, além de direções bem sucedidas no cinema, como “Entrando numa Roubada”, de 2015. André tinha um curta-metragem que versa sobre essa história toda, o que lhe assegurou o convite da produtora Contente para tocar “Manual” para a TV, em 13 episódios de meia hora cada. Outra persona que promete causar é Branco Mello, o titã, aqui na condição de vilão, um malvado de botar medo em todos os personagens da peste já encarnados por seu amigo e ex-colega de banda, Paulo Miklos. Do mal também é a personagem de Rita Lee, outra grife a dar as caras na série.

Rita Lee vem de outro mundo para a série da Warner

Rita Lee vem de outro mundo para a série da Warner

Dito isso, convém adiantar que o espectador, mesmo não se enquadrando no conceito de geek, já dará um voto de confiança ao programa, primeira série nacional da Warner, logo nos primeiros segundos, quando Tesla surge em cena, sendo sucedido por Zé Celso e pela abertura, uma bela apresentação. A exposição dos créditos de elenco e equipe vem distribuída em grafismo e direção de arte da maior competência, tornando a abertura um charme à parte. 

Branco Mello é o vilão Garcia, em busca de CO2

Branco Mello é o vilão Garcia, em busca de CO2

As locações tratam de transportar o público para a história ali contada. Tive o privilégio de visitar um dos sets, justamente o açougue de Juarez, um centro cultural de periferia forrado de azulejos verdes claros, que, para o diretor, André, são um achado. “É uma cor que imprime bem”, ele me disse. “O Juarez tem esse açougue de fachada, e tem esse frigorífico para os experimentos dele. Como ele é o líder dessa galera, ele leva essa galera pra lá”, completa.

“Sou o líder dos jovens”, confirma Abu. “Quando eu li o roteiro, já fiquei pensando na trilha. Faço muita trilha de cinema, então, quando me pedem uma trilha, sempre digo: ‘faço a música, mas quero uma cena'”, ri Abu, aqui mais ator do que músico. Juarez, conta ele, “é viúvo, fodido”. “A gente não sabia, quando fez as leituras, se ia ser comédia, e é engraçado porque não tem como não ser. O líder é denso, vê esperança nos meninos, tem filhos, inclusive a Vanessa, que ele acha que é um alien e vai tentar matar”. Abu sabe que, para a maioria das pessoas, zumbis, aliens e ninjas são uma “coisa meio surreal”. “Mas, para quem está fazendo”, avisa, “existem mesmo”. “Tem gente que acredita em ET. Eu acredito! Não acredito em duende, mas em ET eu acredito!”
O elenco teve aulas de luta, muita luta física. Faz parte da preparação, e o primeiro episódio já acusa isso por meio de Daphne, que dá à sua Tina um tom altamente desconfiado de toda essa conversa de aliens, ninjas e zumbis. O cast inclui ainda Jandira Martini, avó de Sput, e André Bankof, um obsessivo caçador de zumbis. Ana Clara Machado, Victória Vasconcelos, Juan Manuel, Thogun Texeira, Rodrigo García, Rodrigo Fernandes, Arthur Kohl, Thomas Huszar, Cacau Lemos, Hugo Moura, Bryan Ruffo, Gabriel Blotto e Felipe Carettoni completam o time. Entre as participações especiais, mais grifes: Zéu Britto e Jair Oliveira.
A boa: estreia na Warner, às 22h130. E, anunciada como um produto especialmente dedicado ao público geek, estará disponível para todos no canal da Warner no YouTube, assim que a exibição na TV acabar, a partir das 23h.
Bom apetite, com sangue a gosto.
Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter

Cristina Padiglione

Cristina Padiglione