Por Cristina Padiglione | Saiba mais
Cristina Padiglione, ou Padi, é paga para ver TV desde 1990, da Folha da Tarde ao Estadão, passando por Jornal da Tarde e Folha de S.Paulo
O que tem de bom?

Nova temporada de ‘Um Pé de Quê?’, com Regina Casé, bota o pé na cozinha

Bela Bil, Regina Casé e o controverso coentro para a temporada de plantas comestíveis da série 'Um pé de quê?"

Dedicado desde o ano 2000 a tomar as plantas como ponto de partida para explorar diferentes áreas do conhecimento, o nobre programa “Um Pé de Quê?”, de Regina Casé, no Canal Futura, chega a uma nova temporada nesta quinta, dia 10. A bola da vez está na cozinha, e Regina vai esmiuçar, episódio por episódio, a utilidade de cada pé na beira do seu prato. O mote da vez é: planta comestível.

Isso justifica uma lista de convidados que inclui gente entendida da culinária, a começar por Bela Gil, estendendo-se a Lis Cereja e Riju Konwar, entre outros. Acadêmicos capazes de apresentar locais de cultivos e origem de receitas envolvendo essas plantas também entrarão em cena.

Na estreia, nada melhor do que causar controvérsia com uma erva que uns amam e outros odeiam, mas poucos lhe são indiferentes: o coentro. Apesar de ter excelentes propriedades digestivas e medicinais, há quem nele sinta gosto de sabão e até de percevejo. Para entender de onde vem tanta aversão, Regina Casé conversa com um neurocientista especialista em “coentrofobia”, que defende a ideia de que é possível se livrar do ódio à planta. Essa é uma boa pedida ao historiador Leandro Karnal, que já declarou em palestra sua que tem tanta rejeição a coentro que aprendeu a falar a palavra em vários idiomas, para avisar aos garçons de restaurantes do mundo todo, por onde viaja, que seu prato não contenha coentro, por favor.

Bela Gil ajuda a emplacar a sugestão do dia, ao preparar uma receita que jura ser aceitável até entre aqueles que detestam o tempero: que tal maionese de coentro?

“Um pé de quê?” é uma coprodução entre o Futura e a Pindorama Filmes, com direção de Estevão Ciavatta, idealizador da série, ao lado da mulher, Regina Casé.  Entre as temporadas anteriores, falar de árvores e plantas já serviu de pretexto para abordar música, literatura, culinária, geografia, botânica, história e antropologia. Mais informações em www.futuraplay.org e www.umpedeque.com.br.

UM PÉ DE QUÊ? – UM PÉ DE COZINHA 

Estreia: 10 de maio (quarta-feira), às 22h

Exibição: quarta-feira, às 22h

Assista também em www.futuraplay.org

Eis aqui os episódios, um a um:

Coentro: Alimento controverso, do tipo “ame-o ou deixe-o, tem excelentes propriedades digestivas e medicinais. Bela Gil tenta destruir a resistência ao tempero.

Lírio do Brejo: Para muita gente, adicionar flores comestíveis aos pratos é algo novo, extraordinário, da moda. Nem tanto.  Pense no brócolis, na couve-flor, na alcachofra e nirá, todas flores. O Lírio do Brejo nasceu nos pés do Himalaia e, apesar de ser ameaçada de extinção na sua terra natal, é planta invasora no Brasil e vive bem em qualquer lugar alagado e quente. Primo do gengibre, mais perfumado, come-se a raiz e as flores.

Urtiga: Apesar de ser conhecida como a “planta das mil virtudes”, ninguém tem coragem de chegar perto dela. Suas folhas são mundialmente conhecidas e temidas. Mas a urtiga, tão perigosa, é gostosa! Além de muito nutritiva, é uma verdura com sabor próximo à taioba, o espinafre ou a escarola, sem o amargor.

Couve: Surgida nas encostas rochosas do mediterrâneo, é figura fácil em qualquer horta caseira em todo o Brasil. Amada por humanos, animais domésticos e insetos, é apenas uma das inúmeras variedades da mesma espécie Brassica oleraceae, como o Brócolis, o Repolho e a Couve Flor.

Berinjela: Ela é versátil e se adaptou a todos os gostos por onde passou. Do cuscuz marroquino, à mussaká dos gregos, do “caviar de berinjela” russo, à milanesa tão presente nos restaurantes a quilo do Brasil, a BERINJELA conquistou o mundo! Ela é particularmente adorada na Ásia, sua terra natal, onde é considerada o “Rei dos Vegetais”.

Alface: Um clássico, usada na alimentação humana há mais de 4 mil anos. Atualmente, é a verdura mais consumida no Brasil e a 3ª hortaliça em volume de produção. Na verdade, não existe uma alface, são mais de 100 variedades cultivadas pelo mundo.

Tomate: é considerado o “Rei das hortaliças”. É a espécie vegetal mais importante do mundo, tanto do ponto de vista econômico, quanto social, visto o volume de sua produção e o que gera de empregos no mundo inteiro. Muita gente pensa que o tomate é da Europa, tamanha a importância desse fruto nas culinárias italiana e espanhola. Nada disso. O Tomate é nativo da América do Sul, mais precisamente na região dos Andes, entre o Peru e o Equador.

Quiabo: Há milênios é cultivado no continente africano. Evidências sugerem que era comido no Egito desde 2.000 a.C. De lá espalhou-se pelo Mediterrâneo, Arábia, Índia. Só chegou nas Américas no século XVI com as grandes navegações e o tráfico de escravos. Foi na culinária que muitos africanos acharam um modo de reencontrar suas origens. Hoje, ele é estrela da cozinha mineira.

 Abacaxi: brasileiríssimo. Apesar de só ter chegado à Europa no Século XV, os índios já sabiam do seu delicioso sabor há muito tempo. Fruto-símbolo de regiões tropicais e subtropicais, por ter uma “coroa”, ele ganhou o título de “Rei dos frutos”.

Batata doce:  Hortaliça de raiz, planta nutritiva, de fácil cultivo, que não precisa de muita tecnologia para se desenvolver. Nativa da América do Sul, essa prima da mandioca conquistou, além das academias de ginástica, o Extremo Oriente muito antes de os navegadores europeus chegarem por aqui!

 Bom apetite!

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter

Cristina Padiglione

Cristina Padiglione